Staples
Vodafone
FNAC
LVMH
Womens secret
Mercadona
Fleury
Fast Shop
Leroy Merlin
Cortefiel
SONAE
Hospital Pequeno Príncipe
Pandora
MSC
Dia
Springfield
Sheraton
Unilabs
Unidade Local de Saúde de Matosinhos
Notredame Intermédica
Pró-Saúde
Hospital de Santa Maria
Rede Ímpar
Unimed Fortaleza
Luz Saúde
Pulido Valente
Centro Hospitalar de São João
Hospital LeForte
Hospital Platô
AC Camargo
Garcia da Orta
Hospital 9 de Julho
A.R.S. Lisboa e Vale do Tejo
Sabará Hospital Infantil
Santa Casa de Misericórdia da Bahia
Hospital IGESP
Staples
Staples
Vodafone
Vodafone
Estapar
Estapar
LVMH
LVMH
Womens secret
Womens secret
Pandora
Pandora
Springfield
Springfield
Fast Shop
Fast Shop
Worten
Worten
WestSea
WestSea
Wells
Wells
Vitaminas
Vitaminas
Villa Termal das Caldas de Monchique
Villa Termal das Caldas de Monchique
Via Porto
Via Porto
Veolia
Veolia

A sua empresa está ciente da importância do work-life balance?

A sua empresa está ciente da importância do work-life balance?

Nos dias de hoje o desafio profissional deixou de ser atraente apenas pelas questões salariais ou contratuais, passando a integrar também a procura pela qualidade de vida e pelo equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, que cada vez mais tem um peso considerável na tomada de decisão.

Este conceito tem o nome de work-life balance e reforça a importância de um equilíbrio saudável entre a vida pessoal e profissional. Ou seja, o colaborador atinge um ponto ideal onde tem tempo e disposição para dedicar-se a outras áreas do seu dia-a-dia, que podem ser a saúde, a família, relacionamentos pessoais e lazer.

É curioso perceber que este conceito não é percebido da mesma maneira por todos e as perceções do que poderá ser este equilíbrio diferem de país para país. O índice Better Life Index é uma métrica que compara este conceito pelo mundo todo, e de onde é possível retirar insights interessantes. Por exemplo, a Holanda apresenta o melhor índice, onde apenas 0,4% dos trabalhadores fazem horas extra, a taxa mais baixa da OCDE, cuja média é de 11%. De todas as geografias onde a SISQUAL está presente, o Reino Unido apresenta a pior taxa: 12,2% dos trabalhadores fazem horas extra, seguido de Portugal com 8,3%, Brasil com 7,1%, Polónia com 6% e Espanha em último com 4%

Que consequências é que a falta de equilíbrio entre vida pessoal e profissional acarreta?

De uma perspetiva do colaborador, a falta de harmonia entre as esferas pessoal e profissional pode trazer uma série de consequências negativas, das quais destacamos:

  • Stress e Burnout- estado de exaustão emocional, mental e física causado pelo estresse excessivo e prolongado relacionado ao trabalho
  • Ansiedade
  • Dificuldades no sono
  • Deteriorar das relações familiares e sociais, podendo levar a um estado de isolamento
  • Problemas físicos: dores nas costas, tendinites, dores de cabeça e musculares

Do ponto de vista da empresa, esta condição poderá trazer três grandes impactos:

  • Redução da produtividade: uma maior desmotivação com o trabalho leva à perda de interesse, podendo fazer com que a sensação de realização profissional seja afetada
  • O trabalho em equipeé prejudicado
  • Perda da habilidade em compreender emocionalmente o outro – corte de relações e comunicação interpessoal em ambiente profissional

Como é que os RHs podem agir?

Em primeiro lugar é fundamental que o departamento de Recursos Humanos esteja preparado para identificar possíveis sintomas de Burnout bem como as melhores práticas para evitá-los. Dentro destas, salientamos três:

  1. Promover a comunicação entre chefias e colaboradores

Torna-se imperativo manter um ambiente de trabalho agradável e motivador, onde a comunicação interna seja otimizada por meio de canais abertos de diálogo. Desenvolver um mindset de liderança que seja transformador da cultura organizacional faz com que se estreite a relação entre equipe e líder, ajudando na manutenção de uma relação de pertença e valorização pessoal e profissional.

  1. Apostar no reconhecimento profissional

O bom profissional merece ser reconhecido. Assim, além de oferecer remunerações justas e benefícios adequados, a empresa deverá investir no reconhecimento profissional. Para isso será importante a criação de um ambiente desafiante que recompensa o bom desempenho. Aqui o módulo SISQUAL Bónus surge como aliado: este é um motor de cálculo dos prémios de produtividade, criadas sob medida e facilmente vinculadas ao processamento de salários.

  1. Proporcionar meios para tomada de decisões individuais

Quando o colaborador sente que participa no processo de decisão de matérias que influenciam o seu dia-a-dia na empresa dá-se um fortalecimento do sentido de compromisso com a mesma. O módulo SISQUAL Quality of Life Portal capacita a sua equipe com uma ferramenta para controlar os seus horários e proporcionar um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Os colaboradores conseguem assim gerir horários, trocar turnos, pedir férias, dias livres e justificar ausências.

É importante reconhecer a existência deste problema, que infelizmente poderá vir a crescer no futuro. No nosso último artigo falamos do Burnout como uma das tendências para o mundo pós pandemia. A consolidação repentina do home office trouxe alguns pontos negativos, e os funcionários que passaram repentinamente para este regime poderão estar mais propensos ao esgotamento físico e mental. Isto deve-se sobretudo ao fato de não haver um limite determinado que ajuda a separar o trabalho da vida pessoal que acontece quando saímos do escritório, por exemplo.

Todos estamos sujeitos ao esgotamento físico e mental devido ao excesso de trabalho, no entanto isto pode ser evitado se as empresas entenderem que a saúde mental dos seus colaboradores é essencial não só para o seu próprio bem-estar, mas também para a produtividade das suas equipas.

Escrito por Cristina Meireles

Cristina Meireles tem especial interesse nas áreas de marketing, psicologia, RH e Employer Branding. Encontrou no WFM um grande aliado para melhorar a qualidade de vida e produtividade de colaboradores quando agregado às campanhas motivacionais. Licenciada em Línguas e Relações Empresariais pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, é mestranda em Marketing Digital do ISCAP.